desing-interiores1

Entenda a relação entre qualidade de vida e o design de interiores

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Para entender a relação entre a qualidade de vida e o design de interiores é preciso aceitar que essa área trata muito mais do que apenas decoração e escolha de cores. O design de interiores é atrelado à arquitetura e é responsável por planejar espaços saudáveis, que levam em consideração o propósito do espaço e diversos aspectos propostos nos projetos. 

Alguns destes fatores são: espaço, iluminação, ergonomia dos móveis, cor e, claro, a  decoração. Estas são algumas das fontes que influenciam diretamente para uma resposta intuitiva positiva em relação ao ambiente. 

Há mais de 40 anos a Coelho da Fonseca é destaque no mercado imobiliário de luxo, com projetos arquitetônicos que promovem alta qualidade de vida, muitas vezes realizados por profissionais renomados no design de interiores.

Design de interiores impacta na qualidade de vida

A neurociência é um campo voltado para o estudo do sistema nervoso, através do qual têm sido realizadas pesquisas que comprovam que componentes do design possuem a capacidade de alterar a resposta neural, liberando reações químicas relativas a emoções positivas ou negativas, dependendo da composição do ambiente. 

A junção de neurociência e arquitetura pode ser uma grande aliada para aumentar a qualidade de vida e com o design de interiores – esta união também pode ser chamada de “neuroarquitetura”.

Os estudos sobre qualidade de vida e o design de interiores têm aumentado no Brasil, principalmente na parte comercial, com empresas buscando por ambientes mais amistosos e consequentemente mais produtivos para seus colaboradores. 

Sabendo que o trabalho é um dos locais onde passamos boa parte do nosso tempo, as empresas estão investindo em espaços reservados para recreação e relaxamento. Isso devido ao avanço das tecnologias, permitindo cada vez mais automatizações e momentos livres dentro da rotina de trabalho. Entretanto, o uso do design de interiores para fazer você se sentir melhor não está restrito ao ambiente profissional.

O que é design de interiores

Mas o que é design de interiores? Em resumo, é um conjunto de técnicas cenográficas e visuais que compõem e decoram ambientes internos. Trata-se de uma arte, na qual são planejados e organizados espaços através de escolha e/ou combinação de diversos elementos em um ambiente, onde estabelecem-se relações estéticas e funcionais alinhadas para haver a consagração de um projeto final.

Alguns dos elementos utilizados no design de interiores e que alteram o comportamento humano são:

  • Cores – seja nas paredes ou na paleta da decoração, as cores têm um papel fundamental na efetivação da qualidade de vida pelo design de interiores. O estudo das cores surgiu por volta de 1666 com Isaac Newton e vem sendo ampliado desde então. 
  • Iluminação – junto ao estudo das cores, está também o estudo da luz. Apesar de sabermos que a luz natural é sempre melhor e mais confortável, é necessário pensar em como utilizá-la em projetos, definindo as melhores posições para janelas e clarabóias, bem como para que se possa reproduzi-la da melhor forma possível em projetos de iluminação. A iluminação é essencial na hora de criar uma atmosfera e causar sentimentos variados aos que passam pelo ambiente.
  • Espaço – trata-se da área disponível para a execução do projeto, sendo fundamental o uso de técnicas como cores e iluminação para torná-lo maior ou menor, bem como o uso de objetos como espelhos e biombos. 
  • Ergonomia – a ergonomia não se trata apenas da cadeira na posição correta, mas também de todos os móveis e decorações que devem ser pensados de forma a causar a sensação certa, seja ela de tranquilidade ou produtividade. 
  • Decoração – é o que mais se pensa quando falamos sobre qualidade de vida e o design de interiores. A decoração pode parecer algo banal, entretanto estudos como o Fenômeno Buba/kiki, publicado em 1929 e repetido várias vezes décadas depois, demonstram que o cérebro humano não apenas reconhece na linguagem formas como “pontiagudo” e “arredondado”, mas também na visão, no tato e até mesmo no paladar.

Benefícios do design de interiores

A qualidade de vida e o design de interiores estão diretamente ligados. Por meio do design de interiores, pode-se criar ambientes ideais para uma vivência mais agradável e feliz.

Um projeto de design de interiores deve levar em conta as necessidades das pessoas que circularão pelo espaço, a acessibilidade, as necessidades diárias que devem ser atendidas, e, atualmente, até quais aperfeiçoamentos tecnológicos podem ser feitos para melhorar o dia a dia daqueles que interagem com o espaço.

Como melhorar sua qualidade de vida através do design de interiores

Todos os dias somos bombardeados de informações, levando nossos cérebros a um estágio de inabilidade de reter mais informações. Por isso é importante que ambientes voltados para relaxamento levem em conta a rotina daqueles para os quais o projeto é voltado.

A principal relação entre qualidade de vida e design de interiores é que um não pode ser ignorado pelo outro. Dificilmente uma pessoa terá uma boa qualidade de vida em um ambiente que estimula o estresse ou não reflita sua personalidade (em casos de ambientes domésticos).

Alcançar uma boa qualidade de vida é uma busca constante, e o uso correto do design de interiores melhora o bem-estar, auxiliando nesta busca.

Qualidade de vida e o design de interiores na arquitetura

A composição de um ambiente precisa ser pensada de forma mais permanente, a fim de atender às necessidades das pessoas que irão frequentar e interagir com aquele espaço. 

No caso das residências, é importante que o profissional leve em conta a rotina e a personalidade dos moradores na hora de criar um projeto que una qualidade de vida e o design de interiores.

Segundo Priscilla Bencke, arquiteta, fundadora e curadora de conteúdo da Academia Brasileira de Neurociência e Arquitetura, “quando aplicada ao dia a dia, a neuroarquitetura pode melhorar a qualidade de vida”. Como podemos ver, os conceitos de neuroarquitetura, qualidade de vida e o design de interiores estão intimamente ligados.

 

qualidade de vida e o design de interiores

 

A personalização de ambientes é um dos elementos atrelados a qualidade de vida e o design de interiores, sendo essencial na hora de deixar sua casa ou apartamento com “cara de lar”, um ambiente voltado para relaxamento e descanso, no qual o espaço se molda à rotina, e não o contrário.

O design de interiores é um elemento importante neste quesito, concebendo ambientes propícios para que isto aconteça. Qualidade de vida também é sentir-se confortável no lugar onde se está, sentir-se seguro e estimulado a ter ideias, criar e inovar.

Você também pode gostar de ler