neuroarquitetura1

Neuroarquitetura: as contribuições da Neurociência na criação de ambientes estimulantes

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida, a neuroarquitetura está revolucionando o universo das construções. Aliás, este novo conceito alia inovações com ambientes equilibrados e que buscam estimular as emoções

Conheça mais sobre o termo neste artigo e tire todas as suas dúvidas. Além disso, aprenda como aplicá-la nos seus projetos futuros e deixará os ambientes criados por você mais aconchegantes e cheios de energia.

 

Neuroarquitetura: do que se trata?

A Neuroarquitetura deriva da junção dos termos arquitetura e neurociência. Ou seja, trata-se da aplicação da ciência aos espaços construídos.

Tem como finalidade impactar de forma positiva o dia a dia das pessoas e melhorar a qualidade de vida. Assim, ela procura aliar os elementos que compõem os projetos de forma a estimular o cérebro de forma positiva.

Ela utiliza vários recursos para transformar os espaços em lugares criativos e agradáveis, capazes de despertar sensações. Veja quais são eles:

  • Iluminação;
  • Textura;
  • Cores;
  • Formas;
  • Ventilação;
  • Cheiro;
  • Acústica.

 

Imagem Neuroarquitetura

 

Como surgiu a Neuroarquitetura

Este é um ramo recente na arquitetura. Surgiu no ano de 2003, após a criação da Academy of Neuroscience for Architecture (ANFA), em San Diego (Califórnia). Então, as pesquisas na área procuram estudar como o ambiente influencia na atividade cerebral.

As escolas de arquitetura de todo o mundo passaram a difundir o termo. Assim, os conhecimentos da neurociência passaram a ser levados em conta na hora de planejar os espaços.

 

Onde ela pode ser aplicada

A Neuroarquitetura pode ser usada em ambientes internos e externos. Portanto, ela é uma ótima opção para deixar espaços ao ar livre mais bonitos, além de casas em geral mais criativas. Por isso, se torna um recurso interessante ao ser aplicada em:

  • Escolas;
  • Hospitais;
  • Comércios;
  • Residências;
  • Obras Urbanísticas e praças.

 

Quais os benefícios da Neuroarquitetura nos ambientes

Ao criar ambientes equilibrados e voltados para os estímulos do cérebro, a Neuroarquitetura possibilita o despertar de certas sensações. Então, ela pode trazer benefícios em vários locais onde é utilizada.

Veja algumas das vantagens que podem mudar o seu dia e a forma como se sente.

 

Aumento da produtividade

Quando o espaço é planejado de acordo com os princípios, há um ganho muito alto na produção e na criatividade. Pois, é possível, por meio dos elementos, criar estímulos e deixar seus usuários mais inspirados.

 

Melhora a imaginação

Aplicar uma diversidade de formas, texturas e locais coloridos, nas escolas por exemplo, culminam na melhoria da imaginação, além de trazer um maior ganho no ensino, gerando mais foco. 

 

Recuperação da saúde

Alguns hospitais utilizam os elementos da neuroarquitetura em seus espaços. Portanto, tem-se locais mais arejados, com mais natureza e pensados para passar mensagens positivas aos doentes. Assim, reduz-se o estresse e acelera a recuperação.

 

sala de jantar Neuroarquitetura

 

 

Neuroarquitetura e a qualidade de vida

Ela pode ser utilizada para transformar residências em lugares mais agradáveis, em harmonia com a natureza, que estimulam o bem-estar e a interação.

 

Como aplicar a Neuroarquitetura nos espaços

Usa-se a Neuroarquitetura de acordo com os objetivos do ambiente e dos efeitos que se pretende criar nele. No entanto, apesar de não ter regras, é possível aplicar conceitos para se ter ambientes mais saudáveis e confortáveis.

Os elementos podem ser usados juntos ou separados. Além disso, cada um possui características capazes de produzir sensações, estimulando áreas do cérebro.

A seguir, entenda como usar alguns deles e os efeitos que causam no dia a dia.

 

Os efeitos da luz

Um dos recursos usados nesta é a iluminação, seja ela natural ou não. Assim, ela prioriza espaços com janelas amplas e cortinas claras, além de usar a luz branca. Isto dá a sensação de leveza e conforto.

 

Organização 

Ambientes organizados é mais um princípio da neuroarquitetura. Então, quando se tem cada coisa em seu lugar, a tranquilidade domina o cenário. Bem como, diminui o estresse.

 

Ergonomia

Outro fator de relevância para esta nova forma de arquitetura é a ergonomia. Trata-se de planejar um espaço para promover a interação das pessoas com o local. Assim, tem-se maior conforto e qualidade de vida.

 

O poder das cores 

Um dos pilares da Neuroarquitetura mais carregados de sentimentos são as cores. Elas são essenciais para transmitir emoções e estimular certas atitudes. Então, ao usar tal cor (ou várias) em um espaço, é possível ativar algumas sensações. Por exemplo:

  • Cores quentes (vermelho, laranja, amarelo, pink): energia positiva, alegria, alto astral;
  • Branco, azul-claro e verde menta: leveza, claridade, paz, calmaria;
  • Palha e off-white: conforto;
  • Marrom e preto: elegância e força.

 

Sofá Neuroarquitetura

 

Os móveis na Neuroarquitetura

Outro fator de destaque é a disposição dos móveis no espaço. Então, uma boa opção é utilizar os planejados para garantir organização.

Móveis arredondados incentivam mais o cérebro que os quadrados. Aliás, os círculos evocam mais sensações positivas.

Por isso, é interessante mesclar peças curvas dentro de um layout simétrico. Aposte em decorações diferentes para suavizar o espaço e manter o cérebro ativo.

 

A presença da natureza

Outra tendência forte e que também compõe a Neuroarquitetura é a presença do verde. Afinal, eles trazem a ideia de relaxamento e conforto. Também, é claro, deixam um charme no local.

As plantas dispostas nos espaços reduzem o estresse e melhoram a concentração. Não é atoa que o estilo Urban Jungle e o design Biofílico têm crescido tanto.

 

Paisagismo

O paisagismo pode ser usado em áreas internas e externas. Portanto, ele harmoniza os espaços com decorações de elementos da natureza. Confira algumas dicas para tornar o layout com plantas e muito verde.

  • Caminhos com verdes;
  • Jardins suspensos e verticais;
  • Gazebos;
  • Fontes
  • Bancos e mesas rústicas.

 

Conheça a nova tendência de mercado

A Neuroarquitetura, apesar de recente, está ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. Isto se deve a experiência criada, com ambientes positivos que geram emoções.

Caso seja um arquiteto, comece a usar esta tendência em seus projetos. Com isso, vai encantar ainda mais seus clientes. Mas, se estiver buscando um novo conceito para sua casa, aposte nisso.

Além de mais beleza, terá mais qualidade de vida e vai sentir os benefícios todos os dias. Ou seja, impossível não apostar nesta tendência.

Você também pode gostar de ler